Colunistas

avatar

Carlos Schmidt

Profissão: Terapeuta

Cidade: Mogi das Cruzes

Iniciou suas atividades na área Holística no ano de 1993. Experiência como shiatsuterapêuta, acupunturista, argiloterapia, expansão de consciência, centros de energia, aromaterapia, certificado em Thetahealing Basic e Advanced DNA. Ministrou diversos Workshops sobre autoconhecimento e autocura. Formado em Marketing de Varejo pela Fatec/BH, músico e compositor.

  • Acredite na felicidade!

    Não é preciso ser um guru para perceber que nas coisas simples está o verdadeiro caminho para a felicidade

    Postado dia 4 de fevereiro de 2016 às 00h em Saúde e Bem Estar

    feliz

    Amigos leitores, já se foi o primeiro mês do ano e ainda me vem à mente as dezenas de pessoas com que mantive contato na virada para este 2016 e dos tantos pedidos, determinações, objetivos, metas, desejos e sonhos que foram idealizados nas mentes e nos corações destas e de tantos milhões de pessoas em todo o planeta.

    Com essa lembrança também me ocorrem alguns questionamentos.

    O primeiro deles é que em tantos:

    “Nesse ano eu compro isso, aquilo; nesse ano troco de carro, nesse ano faço a viagem dos meus sonhos”, e muitos outros nesse ano; praticamente não ouvi de ninguém “Esse ano eu vou ser feliz!”.

    Exatamente! As pessoas se colocam tão dependentes de bens materiais, de ostentação, de competição, de dependência do que a indústria do consumo aciona que se esquecem de que a felicidade não está em um ou mais itens adquiridos, mas que a felicidade é construída através de ações, de conquistas, de pequenas vitórias, de alegrias simples, de um pouco de natureza e de simplicidade! Que a felicidade é construída no dia a dia, todos os dias e que se você consegue ser feliz sozinho já pode e deve compartilhar isso com alguém porque assim você aumentará ainda mais essa felicidade!

    É claro que a casa nova, o carro, a viagem e tantas outras coisas nos ajudam a ter mais conforto, a nos sentirmos mais dignos e mais orgulhosos de nossas aquisições, mas será que realmente que quem as conquista tem a credencial para ser feliz? É possível afirmar?

    Experimente um 2016 de maneira diferente, com um pouco mais de leveza.  Se perdoe mais, projete objetivos de rápido alcance afinal pequenos e simples objetivos quando alcançados trazem um mesmo grau de satisfação do que os mais longínquos.

    Use um pouco mais da razão para compreender suas limitações e um pouco mais da emoção para experimentar o que a vida lhe oferece em abundância.

    Utilize o aprendizado de tudo o que você já passou para ser mais generoso e compreensivo com o próximo e principalmente para com você!

    Não coloque a responsabilidade da sua felicidade nas mãos e nas ações de outrem, assuma esse compromisso com você! Essa parceria pode e vai dar certo!

    Ah! Não se esqueça também de pegar um solzinho de vez em quando, de assistir um pôr ou nascer do sol, andar descalço na grama; quem sabe até começar ou retomar uns exercícios durante a semana para lembrar que isso também é prazeroso e ajuda em tudo o mais que você for realizar.

    Encontre mais os amigos e quando conversar olhe um pouco mais nos olhos de cada um, ponha mais para tocar aquelas músicas que você adorava ouvir e que tantas boas recordações lhe trazem!

    Viva, respire mais fundo, aprecie as tantas coisas simples que lhe rodeiam. Pare e pense que existem pessoas que lhe amam, que se preocupam com você. Lembre-se da sua responsabilidade, para com você e para com essas pessoas. Então seja mais leve e sinta como isso vai repercutir.

    O outro ponto que eu gostaria de abordar é justamente lembrar a essas mesmas pessoas que me referi ao iniciar nossa conversa, caro leitor, de qual o movimento que estão fazendo para realizar os objetivos idealizados no início do ano. Ainda estão focados? Estão seguindo um organograma para ver quais passos já foram tomados? Esses passos foram acertados? Precisa mudar algo? Está lhe trazendo muita ansiedade? É mesmo isso que eu estou querendo?

    Enfim, como disse o ano está correndo, a mais de 30 dias passamos para 2016 e se eu tivesse tido a oportunidade de lhe desejar algo esse algo seria “Ousadia”!

    Ousadia para construir sua felicidade, ousadia para sair das ideias pré-concebidas, ousadia para o novo, ousadia para expulsar o medo da sua vida, ousadia para você acreditar que é capaz, ousadia para você se por a prova e ousadia para você se regozijar com seu sucesso!

    Não é preciso ser um guru para perceber que nas coisas simples está o verdadeiro caminho para a felicidade.

    Então, como tenho escutado do meu filho:

    – Bóra Lá!!!

    Pegue o caminho e seja feliz!!!

    Até nosso próximo encontro!

    Sempre toda a Paz!

    Compartilhar:

  • Mudança de padrões comportamentais – a conclusão

    Amigos leitores, hoje apresento a terceira e última parte de nossa reflexão sobre mudança de padrões comportamentais:

    Postado dia 22 de dezembro de 2015 às 00h em Saúde e Bem Estar

    balanced-life (1)

    Se você se olha no espelho e se acha gordo, velho, feio e outras coisinhas mais peça perdão ao seu corpo por esses conceitos, pois é um critério que você passou a acreditar e ele é uma manifestação de você. Se olhe com amor! Ele é a manifestação do conjunto da obra que você construiu durante a sua existência. Mas diga a ele que você agora já começa a ser uma nova pessoa que trabalha por ele e ele agora trabalha por você.

    É preciso que você estabeleça uma relação de confiança com o seu corpo, a partir daí ele acompanhará seus desejos e, fazendo isso, começará a manifestar a perfeição. Lembre-se que tudo que não é uma benção é uma maldição!

    Estimule-o, ame-o, diga-lhe do que precisa manifestar e seja um grande parceiro. Toque as áreas de dor, toque com carinho, com amor, projetando a cura e a perfeição dissolvendo tudo o que está cristalizado ali em função de comportamentos anteriores. Mais uma vez peça perdão mesmo que você ainda não compreenda o que gerou aquilo, lembre-se que você pode e deve entrar na frequência mental e emocional que vai realizar a mudança.

    Você sabia que o seu corpo possui uma inteligência e uma memória que tem gravada toda a sua história pessoal? Ele sabe o que é bom e o que não é bom para ele, pois desde a sua gestação seu corpo passou por inúmeras experiências e pode lhe dar muitas respostas. Basta perguntar a ele, porque ele está sempre nos dizendo as coisas, é só começar a perceber isso.

    Lembra quando você subia nas árvores, nadava como um peixe, rolava na grama e depois parou com tudo?  Agora morre de medo de fazer essas e outras coisas porque acredita que vai se estropiar todo. É claro que você pode estar fora de forma, não pratica mais nada, mas se abandonasse essas crenças limitadoras e deixasse seu corpo manifestar essas memórias de maneira natural iria se surpreender com os resultados. Só não espere bater seus próprios recordes na primeira vez, ok?

    Comece pelos alimentos. Quando for comer algo sente calmamente e pergunte se vai ser bom para você, se é disso que você precisa naquele momento. Você receberá a resposta, seja como uma intuição, como um reflexo, um sentimento, de alguma maneira você saberá. Utilize esse mecanismo para todas as coisas que você for fazer, quiser saber ou até mesmo para responder se determinado pensamento ou emoção foram positivos ou não para seu corpo (e para você, é claro!).

    A prática leva à perfeição! Quanto mais você praticar maior será a comunicação que terá com o seu corpo ou, melhor dizendo, com todos os seus corpos, lembra?

    À medida que for se acostumando com esse canal de comunicação poderá cada vez mais obter a otimização da sua qualidade de vida, se conhecer melhor, elaborar e construir a sua realidade, incrementar sua capacidade de ser mais bem sucedido nas situações da vida e retomar uma capacidade verdadeira de promover o auto equilíbrio.

    Tome como meta: Nunca procure o negativo, mas o que há de positivo em tudo e em todas as situações! Visualize como você quer enxergar e veja este processo em ação!

    Em todos os anos como Terapeuta Holístico e “observador da vida” tive inúmeras oportunidades de presenciar verdadeiras revoluções na saúde e na vida de pessoas que, por simples opção ou necessidade, mudaram seus padrões comportamentais.

    É possível que esta leitura crie algumas dúvidas, que ela force a quebrar velhos paradigmas e esse é também um objetivo do texto, mas raciocine comigo:

    Imagine uma pessoa que passa anos achando ser feia, que toda vez à frente do espelho se chamou de gorda, que ao primeiro fio de cabelo branco já decreta que está velha, que se diz cansada pra vida, que desde pequena afirma ”isso eu não consigo, disso eu não dou conta”, que se coloca como derrotada ao primeiro desafio… E ela consegue fazer com que tudo isso se torne realidade! Consciente ou inconscientemente!

    – Quanta programação negativa, quanta energia desperdiçada! E que realizações, hem?

    Agora imagine uma pessoa utilizando-se de toda essa energia de maneira consciente para a saúde, para a juventude e a vitalidade, para os negócios, para a prosperidade, para o sucesso em todas as áreas da vida!

    – Alguém ainda duvida?

    Comece hoje mesmo e delicie-se com essa experiência transformadora.

    Até o nosso próximo encontro, muita saúde e bem-estar!

    Sempre toda a Paz!

    Schmidt Filho

    Terapeuta Holístico – CRT 23262

    Compartilhar:

  • A saúde consciente

    Amigos leitores, conforme combinado, segue a continuação do nosso texto anterior:

    Postado dia 13 de novembro de 2015 às 12h em Saúde e Bem Estar

    terras-de-sanrubi-51

    Se você não tiver um problema grave e um médico ou um amigo lhe perguntar, como você está provavelmente você dirá:

    – Tudo bem, a gente vai levando, né?

     – Acho que está tudo normal, graças a Deus!

    Então quem sabe a partir de agora você começa a prestar atenção no que o seu corpo tenta lhe comunicar através das reações que ele manifesta?

    Comece a acionar a sua consciência corporal, mental, emocional. Fique atento na maneira como você reage às situações de desafio, de contrariedade; na ansiedade, na tristeza, na raiva, na excitação. Perceba como seu corpo reage depois de cada uma dessas vivências. Preste atenção nos seus pensamentos, se eles são positivos ou negativos na maior parte do tempo.

    Lembre-se de que o que você pensa é o que você atrai. O que você verbaliza você atrai.

    As pessoas dizem que está tudo bem, mas passam a maior parte das suas vidas com desequilíbrios que por serem tão frequentes se tornam normalidade.

    – Essa dor na nuca todas as manhãs quando acordo me mata, mas tô bem!

    – Meu intestino só funciona a base de remédio, mas tô bem!

    – No final das tardes não tenho energia pra nada, mas tô bem!

    – Tirando que eu não tenho uma boa noite de sono há anos, tá tudo bem!

    – Se alguém me contraria eu tenho vontade de esganar, tirando isso, tudo bem!

    E por aí vai…

    São dores, humores, sofrimentos, padrões que se repetem diariamente e que somatizados acabam gerando complicações por vezes irreversíveis.

    Lembre-se você é o que você come, pensa e sente! Disso depende sua saúde! Disso depende sua vida como um todo! Seu trabalho, suas amizades, seu relacionamento afetivo, sua prosperidade! Veja um mundo limitado e você terá um mundo limitado!

    Abra seus horizontes, mantenha sua mente alerta, esteja atento às suas reações, se disponibilize para mudar e acreditar na sua capacidade de realizar, de prosperar, de ser feliz!

    Se coloque no lugar do outro, não prejulgue, não critique, aprenda a perdoar, seja cordial, solícito.

    Aprenda a perdoar a si próprio!

    Se você errou não cometa os mesmos erros, aprenda com eles! A autopunição é um dos maiores inimigos da sua saúde, da sua liberdade, da sua felicidade!

    Tudo isso a que me refiro interfere diretamente e profundamente na sua saúde e você e somente você tem o poder de transformar!

    Imagine agora todo esse poder, toda essa força que dispomos sendo canalizada de forma consciente para a cura, para a harmonia pessoal, para o sucesso em todos os aspectos da vida! É vitória certa!

    Você programa sua mente cada vez que acredita em algo como verdade! Reveja suas crenças!

    Em primeiro lugar conscientize-se do seu corpo, como ele está! Principalmente se você só pensa nele quando está com dor.

    Você deve aprender a tratar o seu corpo como alguém especial, com quem você vive, porque é justamente isso o que acontece, não é mesmo?

    Se ao invés de manifestar imperfeições ou exigir aquilo que ele não está dando conta você o estimulasse apenas dizendo algo encorajador, ficaria surpreso com a resposta imediata. Afirmo outra vez, somos a soma de um corpo físico, um mental, um emocional, um energético!

    Se você pensa os outros compreendem, se você sente os outros são afetados, se você fala os outros ouvem! Da sua atitude positiva ocorrem as mudanças para o melhor.

    Comece a operar seus primeiros “milagres” descobrindo nos seus corpos as áreas que necessitam de fortalecimento. Avalie o que você já conhece deles.

    Você sabe muito sobre o seu próprio corpo porque você vive nele e pode senti-lo como realmente é.

    Faça uma lista dos seus pontos fortes e fracos.

    Anote os desequilíbrios que ele manifesta frequentemente e que costuma manifestar depois de algo que você come, ou depois de determinada emoção, ou depois de pensamentos repetitivos, o chamado “remoer”. Anote também aqueles incômodos frequentes como dores localizadas, alergias, resfriados repetitivos; enfim…, acho que já deu pra compreender.

    Mas quando digo anote, não é com o objetivo de colocar no caderninho “Minhas doenças”, é justamente o contrário. É constatar um padrão de desarmonia que vai ser compreendido e transmutado por um “querer consciente”.

    Já que o pensamento tem forma cada forma de pensamento que você tiver sobre o seu corpo é uma profecia esperando ser consumada!

    Aquilo que você criou só pode ser mudado através de sua consciência!

    Continuamos em nosso próximo encontro.

    Sempre toda a Paz!

     

    Compartilhar:

  • Mudança de padrões comportamentais

    Grande parte do número de enfermidades em nossa sociedade atual é de origem psíquica e emocional, podendo gerar problemas para a vida toda.

    Postado dia 19 de outubro de 2015 às 11h em Saúde e Bem Estar

    good-health

    Nessa oportunidade de participar da edição inaugural da revista eletrônica Sociedade Pública, quero começar parabenizando aos responsáveis por esta iniciativa empreendedora de criar um veículo de informação focado na integridade e na prestação de serviços com qualidade e respeito a você, leitor.

    Inaugurando nossa coluna Saúde e Bem Estar, gostaria de fazer algumas reflexões a respeito do tema e proporcionar uma oportunidade de mudança em alguns padrões comportamentais que levam a desequilíbrios – desarmonias em nossa saúde através de um ponto de vista holístico.

    Para tal objetivo e, em função da importância do conteúdo e sua devida assimilação, o assunto será abordado nesta e nas três próximas edições.

    A palavra “holísmo” vem do grego “holos” que significa “todo”, “inteiro”, “completo” e é usada para designar um modo de pensar e de analisar as relações que as partes mantém entre si e suas reações com o próprio todo, sendo que é o todo que determina o comportamento das partes.

    Grande parte do número de enfermidades em nossa sociedade atual é de origem psíquica, emocional e que além de gerarem um desconforto e uma dependência química, em muitos casos para toda a vida, resultam num enorme número de óbitos.

    Querido amigo, se você não se enquadra no perfil de pessoas que aqui vou citar, pelo menos deve ter um amigo, conhecido, lido ou ouvido falar.

    É crescente o número de pessoas que tem manifestado a busca por uma melhora na chamada “qualidade de vida”. Seja na alimentação (macrobiótica, vegetariana, vegana, paleolítica e outras), na atividade física (pedalar, malhar, correr, nadar e uma infinidade de outras), na meditação, na busca pela espiritualidade, na integração com a natureza, autoconhecimento e tantas mais.

    Cientistas, estudiosos da física quântica já comprovaram que tudo no Universo é energia e que nossos pensamentos e emoções têm a capacidade de interferir e transformar a energia. Temos a capacidade de interferir na estrutura atômica das coisas. Temos um poder que sequer compreendemos em sua totalidade e que também a quase totalidade da humanidade nem desconfia. Mas a verdade é que muito pouca gente para, reflete e percebe como isto funciona.

    Você sente quando uma pessoa chega perto de você e após alguns minutos você começa a passar mal? Quando um amigo lhe dá aquele abraço bem apertado, conversa um pouquinho e quando vai embora diz que não estava bem, mas que agora está ótimo e você sente como se estivesse com uma tonelada sobre os ombros?

    Quando chega a um ambiente e alguém lhe diz: Nossa, que lugar carregado!

    Experimente dizer palavras de afeição, carinho, elogios, emane sentimentos bons às suas plantinhas, para a sua horta e escolha uma dentre elas e faça justamente o contrário. Observe o resultado.

    Porque existem tantas técnicas orientais de imposição de mãos, a benção no Cristianismo, o passe magnético em algumas religiões?

    Já ouviu falar no olhar “seca pimenteira”?

    É impossível negar que não exista algum tipo de energia, de magnetismo que emana de nós e que na reciprocidade é absorvido por nós. Seja por emissão de outros, seja por estarmos receptivos a um determinado padrão energético ou simplesmente por troca de energia quando na proximidade de outras pessoas ou ambientes.

    Recapitulando, estamos a todo instante criando e interferindo na energia do todo. Positiva ou negativamente, de acordo com a maneira que estivermos vibrando. De acordo com o que pensamos e sentimos estamos gerando energia “saudável” ou “maléfica” para o nosso organismo, para o nosso próprio ser e para outros seres e isto é de nossa inteira responsabilidade.

    Estamos acostumados a entregar nosso corpo e nossa vida a outras pessoas para que “cuidem” de nós como se fossemos meros espectadores naquilo que desequilibra nossa saúde e não tivéssemos nenhuma participação no que nos acomete. Evidente que não estou me referindo a fatalidades, doenças congênitas, contaminações, intoxicações, subnutrição, etc.

    O que nos diferencia das outras espécies é o fato sermos seres integrados. Nosso corpo físico é integrado ao nosso corpo mental, ao nosso emocional, ao nosso corpo energético, magnético. Somos um universo conectado ao Universo e cada uma das partes interfere no todo. Uma parte em desequilíbrio desarmoniza o conjunto.

    Um pensamento negativo, uma explosão emocional é suficiente para causar uma série de reações químicas em nosso organismo, um rebuliço em nossas glândulas, um desajuste momentâneo. Nossas emoções funcionam como uma válvula de escape que nosso corpo encontra para em algumas oportunidades livrar-nos de um colapso ou de uma pane interna. Isso faz parte do nosso sistema de preservação. Mas já pensou nisso se repetindo a todo instante, todos os dias, por meses, anos?

    Tive a oportunidade de nascer na época (há nem tanto tempo atrás) em que ainda era hábito ter-se o chamado médico da família. No meu caso ele me acompanhou desde o nascimento até meus vinte e poucos anos, quando ele se aposentou. Estou exemplificando isto porque ele me conhecia verdadeiramente, conhecia meus pais, irmãos, parentes, o ambiente em que eu vivia, como eu agia e reagia a diversas situações, enfim, em cada consulta me analisava como um todo. E o danado sempre acertava na mosca!

    Indo direto ao ponto: Nunca nossa sociedade dispôs de tanta tecnologia, conhecimento e informação na área da saúde como temos atualmente.  A medicina é cada vez mais especializada no tratamento de cada parte do ser humano. Temos um especialista para o fígado, um para os rins, para cada órgão do nosso corpo, para glândulas, mão, joelho, enfim, profissionais capazes de nos ver e tratar em partes com grande eficiência. Mas quem conhece você como um todo?

    Você! Sim, você mesmo!

    Se você acha que não, comece a se perceber!

    Até nosso próximo encontro!

    Sempre toda a Paz!

     

    Compartilhar:

Página 1 de 11