Colunistas

avatar

Carlos André

Profissão: Especialista em RH

Cidade: Jandira

Consultor | Especialista em Folha de Pagamento/ RH/ eSocial, gestão de projetos e processos

  • O RH está em crise

    O que vemos é um RH preocupado com jornais internos, festas de confraternização, aniversariantes do mês. Quais são as ações estratégicas que deveriam estar andamento?

    Postado dia 9 de março de 2017 às 08h em Empreendedorismo e Gestão

    rh

    Foto: Reprodução

    Em pesquisa realizada pela revista VOCÊ S/A junto ao mercado, foram levantadas algumas questões que mostram a visão que o RH possui sob o olhar dos demais profissionais. São elas:
    • “Você sabe qual o papel do RH da sua empresa?” – 61% responderam: “Não, o RH é lento, perdido e não cumpre seu papel”.
    • “Você considera o RH da sua empresa estratégico?” – 47% responderam: “Não, eles não são uma área estratégica e não têm a mesma importância de outras áreas”.
    • “O RH da sua empresa tem voz ativa?” – 42% responderam: “Não, o RH não tem voz ativa”.

    Recentemente a consultoria Deloitte nos EUA, intitulada Reinventing HR: An Extreme Makeover, ouviu que apenas 22% dos entrevistados dizem que o RH está se adaptando as necessidades de sua força de trabalho e que ainda 20% acreditam que o RH não está preparado para planejar o futuro dos talentos da empresa.

    Infelizmente, seja pelos números da Você S/A ou da Consultoria Deloitte, existe uma triste realidade: o setor de RH está em crise. Com exceção das grandes empresas que investem em Recursos Humanos, a maioria possui apenas um RH de fachada. Acredito pessoalmente que grande parte dessa visão é devido à falta de foco, planejamento e de alinhamento com as estratégicas organizacionais.

    No entanto, essa visão não se restringe apenas a um determinado segmento ou porte de empresa, e temos dois lados que podem mudar esse quadro. De um lado, os executivos, que devem se comprometer e cobrar do RH outra postura. Do outro, o próprio RH, que deve buscar alinhamento estratégico, entendendo que temos um mundo globalizado, com diferentes gerações trabalhando em conjunto e com uma alta competitividade, que exige um dinamismo das empresas em ações que possam mantê-las no mercado de maneira perene.

    Já passou da hora de o RH se colocar como uma área estratégica na empresa. Essa é uma máxima dita já há algum tempo: o RH deve participar de todas as decisões organizacionais. Se refletirmos que essas decisões passam por pessoas, e se um trabalho coordenado não for realizado pelo RH atrasará a implantação das ações. Ou mesmo até impediram que elas aconteçam – pois, como dizem por aí, “é preciso combinar com os russos”. As pessoas é que fazem ou não acontecer as mudanças.

    rhO maior erro estratégico das empresas é não compreender, envolver e motivar as pessoas nas mudanças que se fazem necessárias. É nesse momento que entra o departamento de RH, com objetividade, conhecendo o público da empresa e apoiando as ações de forma estratégica que viabilizem as mudanças.

    Entretanto, o que vemos na prática é um RH preocupado com jornais internos, festas de confraternização, flores para o dia da mulher, aniversariantes do mês, etc.. Tais ações não deixam de ser importantes; porém, são ações de manutenção, paliativas e provisórias. Agora, fica a pergunta: Quais são as ações estratégicas que deveriam estar andamento?

    Como forma de reflexão, deixo a seguir algumas sugestões:

    • Qual o plano de sucessão da empresa?
    • Qual o plano de treinamento para liderança?
    • Todos os colaboradores estão mapeados quanto suas competências?
    • Existe em andamento algum programa de desenvolvimento profissional?
    • Quais as ações de manutenção em andamento para controle do clima organizacional?
    • O RH está preparado para viabilizar o aumento ou redução de quadro em tempo viável?
    • Quais as ações planejadas pelo RH para daqui a 3 ou 5 anos? Estão alinhadas com as estratégias organizacionais?

     

    Esses são apenas alguns pontos que o RH deve ter a resposta pronta, pois, havendo qualquer movimento da empresa, o departamento estará preparado e capacitado para apoiar a organização. Lembrando que, seja qual for a ação que a empresa realize, ela passará pelas pessoas e sua correta e eficaz gestão levará ao sucesso.

    Para isso, é preciso um RH forte, bem estruturado, com planejamento e alinhado constantemente com os desafios da empresa e do mundo.

    Enfim, cabe a todos nós, profissionais de RH que trabalhamos com essa área tão nobre nas empresas, fazer valer nosso compromisso, acima de tudo com as pessoas e seu crescimento. Afinal, se forem bem direcionadas, as pessoas levarão também ao crescimento da empresa.

     

    Compartilhar:

Página 1 de 11