Colunistas

avatar

Ariovaldo Ribeiro

Profissão: Médico

Cidade: São Paulo

Médico formado pela Escola Paulista de Medicina em 1983. Especialista em Homeopatia pela Associação Médica Homeopática Brasileira. Presidente da Associação Paulista de Homeopatia (2002/2004 e 2005/2007). Autor dos livros Repertório de Homeopatia, Repertório de Homeopatia Pediátrica, Repertório de Sintomas Homeopáticos Repertório Homeopático Digital), Conhecendo o Repertório e a Semiologia Homeopática, e Repertório de Sintomas-chave em Pediatria Homeopática.

  • Depressão pode ser tratada com homeopatia

    uma simples alergia, câncer ou depressão, todas são passíveis de tratamentos homeopáticos.

    Postado dia 15 de março de 2017 às 08h em Saúde e Bem Estar

    depressão

    Foto: Reprodução

    Em uma vida cercada cada vez mais por remédios e pessoas que mais parecem zumbis, as alternativas naturais têm sido muito buscadas como solução dos mais diversos problemas. Desde uma simples alergia, câncer ou depressão, todas são passíveis de tratamentos homeopáticos.

    No caso da depressão, essa doença se manifesta nos mais diversos momentos da vida, como nós do blog Homeopatia e Saúde já abordamos, como casos de depressão pós-parto, uma vez que essa situação acomete de 50 a 80% das mulheres que têm filhos. Se você não sabe se tem depressão ou não, além de buscar auxílio profissional para dar início a um tratamento adequado caso a doença seja confirmada, é possível também pesquisar mais a respeito do assunto para se auto analisar. Abordamos os principais sintomas em outra publicação.

    De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão atinge aproximadamente 340 milhões de pessoas ao ano. Em nosso País, esse número é de 13 milhões. O pior desse dado é que até 5% desse número é formado por crianças que sofrem do transtorno. É perfeitamente possível adotar um estilo de vida mais saudável, com uma recuperação tratamento a causa e não somente o sintoma através da homeopatia. Esse é o princípio da abordagem, que analisa o histórico do paciente e combate a doença partindo da compreensão da vida de quem busca essa forma de tratamento.

    depressao2Um tratamento homeopático é capaz de proporcionar estímulo suficiente ao organismo para que o sistema imunológico reestruture o equilíbrio do corpo. Mas isso não é resolvido apenas em uma consulta, por ser muito vaga. O tratamento é feito a longo prazo, tratando o que ocasionou a depressão e não a depressão propriamente dita. O acompanhamento é feito pouco a pouco. Porém, a eficácia desse tipo de tratamento surpreende tanto, que a Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica a homeopatia como o segundo método de terapia mais usado em todo o mundo.

    É importante reforçar a necessidade de sempre ter o acompanhamento de um profissional para qualquer sintoma que você apresente. Pense sempre positivamente e com otimismo para manter o bem-estar e a saúde, e aproveite com mais qualidade de vida.

    Compartilhar:

  • Aprenda como lidar com a acne

    Essa talvez uma das doenças mais incômodas e recorrentes nos consultórios. Pensando em te auxiliar a driblar o problema, confira informações a respeito das famosas espinhas

    Postado dia 14 de fevereiro de 2017 às 09h em Saúde e Bem Estar

     

    acne

    Foto: Reprodução

    Problemas com a acne não são exclusivos para homens, mulheres ou grupos sociais: pesquisas apontam que cerca de 20% da população em todo o mundo sofre ou já sofreu com este tipo de situação.

    Existe, claro, uma faixa etária em que problemas com espinhas são mais comuns. Caso da adolescência, que acomete os meninos com idade que varia de 14 a 16 anos e, no caso das meninas, mais novas: entre 11 e 13 anos. Mas como surge a acne? Vinculado à produção de hormônio, o aumento da oleosidade na pele pode gerar o ambiente ideal para infecções por bactéria e por consequência a inflamação.

    Alimentação

    O aparecimento de acne também está relacionado a uma alimentação baseada no consumo de gordura e alimentos que apresentam alto índice glicêmico. Por isso que não podemos julgar somente o chocolate como o responsável por tais aparições: alimentos ricos em carboidratos também estimulam o aparecimento de espinhas.

    Conheça a doença

    Segundo uma pesquisa feita por mim e pela minha equipe da Similia Homeopatia e Saúde, a acne é dividida em vários graus. Essa subdivisão define também os tratamentos adotados para cada caso. Por exemplo: durante a adolescência, entende-se que este é um período limitado para que a doença apareça e também suma.

    acne2

    No entanto, há consequências dessa fase que pode prevalecer por toda a vida, como sinais e cicatrizes quando não tratado adequadamente.

    Quando o caso do aparecimento de espinhas é considerado leve, o tratamento pode ser feito em casa, atentando-se essencialmente a uma rotina que tenha sabonete, adstringente e também hidratantes próprios para peles oleosas.

    Quando a situação é diagnosticada como moderada, os cuidados requerem acompanhamento de lasers a fim de evitar manchas aliados a produtos voltados ao tratamento de acne.

    Em situações tidas como graves, utiliza-se a isotretinoína, medicamento que desencadeia efeitos colaterais e por isso deve ser unicamente usado em diagnósticos graves. Sua função é reduzir a produção de oleosidade.

    A limpeza de pele é ideal quando há bastante cravos que precisam ser removidos e a esfoliação é indicada pelo menos uma vez por semana. Eu oriento sempre que o paciente busque acompanhamento profissional antes de iniciar qualquer tratamento.

     

    #:
    Compartilhar:

  • A importância do sono para as crianças

    A reclamação é geral entre pais e mães, especialmente de primeira viagem: ou o bebê dorme pouco e acorda muito e ninguém consegue dormir; ou dorme muito e acorda pouco e a mãe não sabe se deve acordá-lo para mamar ou não.

    Postado dia 18 de janeiro de 2017 às 08h em Saúde e Bem Estar

    crianças

    Foto: Reprodução

    A população moderna ocidental vive em constante correria, tudo pede pressa e isso reflete até mesmo na relação dos pais com os filhos. Especialmente no sono. A pressa para que a criança durma sozinha, a ansiedade para que durma bastante. Mas qual é o tempo de sono ideal? Como garantir um bom período de sono para a criança? Qual a sua importância?

     

    Dormir muito e acordar pouco? Ou o contrário?

    Segundo a Dra. Ana Lúcia, da Simília Homeopatia – CRM 47937, as horas de sono podem variar de acordo com a idade da criança, havendo uma maior necessidade quanto mais nova for. “Bebês de até 6 meses dormem, em média, 18h por dia e noite – que podem não ser seguidas. Conforme vão crescendo, a necessidade de horas de sono pode ir diminuindo”, afirma.

    sono-bebeO período noturno pode ser o pesadelo de muitos pais, que se sentem soterrados com o sono aparentemente “inquieto” do bebê. Contudo, a pediatra reitera que bebês que dormem muitas horas seguidas não são regra e sim exceção. “Bebês têm dificuldade em continuar o sono e podem ter leves acordadas a cada 2 horas, mas não havendo nada para agitar o cérebro infantil (luz, brincadeira e som), eles voltam ao sono em seguida” afirma Dra. Ana Lúcia Dias.

    Quanto aos bebês que são mais dorminhocos, a doutora conta que não é preciso acordá-lo para mamar. Mas que pode ser colocado para mamar caso esteja num sono muito inquieto ou agitado, pois bebês mamam mesmo quando estão dormindo.crianca-doirmindo-620x470

    A pediatra também reforça a importância do sono durante o dia. Diz que a soneca é importante para todas as idades na infância, algumas até duas vezes ao dia. Recomenda um sono mais curto de até 40 minutos durante o dia e outro mais longo, de até 90 minutos, durante a tarde. E para antecipar qualquer preocupação, ela avisa: “Esse sono não atrapalha em nada o sono da noite, mas deve ser no máximo até às 17h. Caso contrário a criança não vai ceder antes das 23h”.

    Como estabelecer uma rotina de sono?

    A rotina é muito importante para a criança, principalmente porque antecipa o que irá acontecer a seguir e, assim, ela se prepara para tal. No sono, isso é especialmnte verdade e pode facilitar a vida dos pais.

    Dra. Ana Lúcia recomenda que a rotina deve ser estabelecida desde os primeiros meses e indica: “a casa toda deve ir se tranquilizando a partir das 19h (evitar som alto, televisão ligada, brincadeiras excitantes), para que às 20h a criança ou bebê já esteja dormindo”.

    A pediatra e homeopata ainda frisa que o sono é fundamental na vida da criança. Não só porque é no sono que agem os hormônios do crescimento, mas principalmente porque pode determinar o seu sono no futuro.

    “O bom sono na infância pode determinar o bom sono do adolescente e do adulto, portanto vamos construí-lo de vagar, com paciência e muito amor.”, diz ela.

    Compartilhar:

  • Como a positividade ajuda sua saúde

    Ser otimista não é só uma questão de perspectiva, mas também pode ajudar a manter a boa saúde e combater doenças. Quer saber como?

    Postado dia 4 de janeiro de 2017 às 08h em Saúde e Bem Estar

    ´positividade

    Foto: Reprodução

     

     

    Pesquisadores descobriram que pessoas otimistas conseguem se recuperar melhor de procedimentos médicos, como cirurgias cardíacas, têm um sistema imunológico mais eficaz e até vivem mais. O estudo foi publicado no Journal of Behavioral Medicine (Revista de Medicina Comportamental).

    A ciência já provou em centenas de estudos como os pensamentos e sentimentos negativos, como ansiedade, estresse e depressão, influenciam na saúde e na recuperação do corpo. O que estão comprovando agora, entretanto, é que o contrário também é válido: o pensamento positivo, otimismo e felicidade ajudam na qualidade de vida e na saúde.

    A explicação é biológica e também psicológica. As somatizações, por exemplo, são manifestações físicas que têm origem psicológica e emocional. Como quando há febre, dor de barriga e náuseas por excesso de ansiedade, por exemplo. O otimismo e positividade também são uma questão biológica: os hormônios como endorfina e serotonina, ligados aos sentimentos de alegria, felicidade e prazer também ajudam nesse panorama de reforço da saúde.

    Basta analisar o lado oposto para entender a relação: pessoas estressadas e muito ansiosas são mais propensas a ter problemas cardíacos, diabetes e distúrbios mentais. E o otimismo ajuda a combater o estresse e a ansiedade. Além disso, também pode diminuir as inflamações geradas por estresse e abrandar os hormônios da negatividade, como é o caso do cortisol.

     

    Pessimismo e otimismo não são inatos

    Algumas pessoas justificam que o pessimismo “sempre foi” uma característica da sua personalidade. Contudo, a ciência já provou que isso não é uma “habilidade” inata, mas sim uma condição adquirida.

    Da mesma forma que assumimos o pessimismo, podemos assumir o otimismo. E os especialistas garantem: é apenas uma questão de hábito. É possível “treinar” a mente para o pensamento positivo e o otimismo. E se você é uma pessoa estressada, aqui vai o bônus: eles também afirmam que as chances do treinamento darem certo é maior com pessoas estressadas!

    Segurança, autoestima e positividade são fatores-chaves e que devem ser constantemente exercitados como uma configuração mental padrão. Um hábito. É um trabalho diário que deve ser feito o tempo todo, tomando a perspectiva otimista.

    Obviamente, apenas positividade e otimismo não curam, sozinhos, os problemas de saúde. Esses sentimentos são aliados da ciência e da saúde e agem, como dito anteriormente, fortalecendo o corpo, a mente e acelerando a recuperação. Não recomendamos que aposte na positividade em detrimento da ajuda profissional, mas sim em conjunto com ela!

    Compartilhar:

  • A ansiedade afeta a qualidade de vida e saúde das pessoas

    A homeopatia considera a ansiedade como um fator de desequilíbrio que precisa de tratamento

    Postado dia 13 de dezembro de 2016 às 09h em Saúde e Bem Estar

    ansiedade

    Foto: Reprodução

    Considerada “o mal do século XXI”, a ansiedade não é apenas um transtorno mental e comportamental. De fato, a ansiedade desencadeia uma série de problemas que interferem de forma direta na vida daqueles que sofrem com o transtorno.

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um levantamento que apontou um dado assustador: em quadro mundial, 33% da população sofre de ansiedade. E o Brasil está entre os primeiros da lista. São Paulo se destaca entre as cidades do mundo todo, com 29,6% dos paulistanos sofrendo com transtorno de ansiedade. Aliás, o relatório de pesquisa da São Paulo Megacity Mental Health Survey, de 2014, apontou a região metropolitana como aquela que possui maior incidência de perturbações mentais no mundo.

    Sintomas e Consequências da Ansiedade

    Apesar do número altíssimo de incidências no Brasil, a resistência em procurar acompanhamento profissional é tão grande quanto e, por vezes, os pacientes só buscam ajuda quando o transtorno se desdobra em situações graves. E sendo um mal tão comum, é importante conseguir identificar os sintomas para prevenir e iniciar o tratamento o mais cedo possível.

    A ansiedade pode causar insônia, prejudicando o sono; a pessoa percebe que está comendo demais, principalmente à noite. E passa a apresentar sintomas como vertigens e tonturas, que costumam chamar erroneamente de ‘labirintite’, mas não é. É apenas tontura e vertigem, sintoma comum de ansiedade.

    Além disso, o homeopata também revelou as consequências e como afetam a vida daqueles que sofrem com ansiedade: “Ela começa a prejudicar no trabalho, na vida pessoal, nos relacionamentos pessoais. Se a pessoa não buscar tratamento, ela sente que está fora do controle.”

    Ansiedade e Homeopatia

    Diante de uma tendência crescente de medicalização da vida e da consequente resistência dos pacientes em aceitar as inúmeras prescrições químicas para a ansiedade, a homeopatia se destacou como alternativa para quem sofre com o transtorno.

    A abordagem holística que contempla não só a análise fisiológica, mas também emocional, psicológica e social, entendendo o ser humano como ser multifacetado e plural que é, pode ajudar no tratamento da ansiedade de modo menos invasivo que o tratamento tradicional.

    Na realidade, a homeopatia considera a ansiedade como um fator de desequilíbrio que precisa de tratamento. Nós tratamos com medicamento homeopático para que a pessoa ansiosa possa ficar mais equilibrada dentro das situações cotidianas.”,

    Compartilhar:

  • Dor de cabeça, um problema crônico

    Normalmente, reconhecemos em nós as razões por que este problema tão comum aparece. Procure avaliar seu dia-a-dia antes de recorrer ao uso de medicamentos

    Postado dia 24 de novembro de 2016 às 09h em Saúde e Bem Estar

     

    dor

    Foto: Reprodução

    Não existe no mundo nenhuma pessoa que nunca tenha tido sequer uma dor de cabeça. A dor mais comum tem também inúmeros motivos para aparecer. E quase tudo que fazemos pode proporcionar dor de cabeça. Estresse, fome ou excesso de alimentação, sede, ressaca, falta se sono, excesso de sol, e mais uma infinidade de motivos podem causar uma dor esporádica de cabeça. Venho contar para vocês o que fazer quando essa dor aparecer.

    A dor de cabeça pode ser crônica, e aparecer sistematicamente, constantemente. Nesse caso, conforme explica Dr. Ariovaldo, é importante a intervenção médica para investigar o motivo. “Enxaqueca, uma dor constante, deve ser investigada. O paciente vai contar ao médico sempre o que estava fazendo, ou os acontecimentos cotidianos em torno da dor. O médico vai buscar descobrir ai a causa, para, somente ai, buscar um medicamento que possa auxiliar”, explica o médico homeopata e presidente da AMHB – Associação Médica Homeopática Brasileira.

    A dor de cabeça esporádica pode aparecer por uma série de razões, e normalmente reconhecemos em nós essas razões, já que sabemos o que fazemos ou deixamos de fazer, e o que passamos no dia-a-dia.

    Nesse caso, segundo Dr. Ariovaldo, a homeopatia não recomenda o uso de medicamentos. “Se o paciente sofre com dores de cabeça esporádicas, ao conversar com o médico, ele pode recomendar alguma dieta especial, algum chá ou até mesmo repouso”, explica o médico.

    Vale lembrar que, ao sentir uma leve dor de cabeça, procure avaliar alguns pontos, antes de recorrer ao uso de medicamento:

    – Você está hidratado? Qual foi a quantidade de água que ingeriu no dia?

    – Você está com fome? Veja se a alimentação que você consumiu foi suficiente, ou correta.

    – Você está com sono? Dormiu o suficiente ou se cansou demais ao longo do dia?

    – Você está estressado? O dia foi puxado ou algo aconteceu que te tirou do seu prumo?

    – E por último, apenas para mulheres: você está próxima a menstruar? Um dos sintomas da TPM é dor de cabeça.

    Recomendo que procure um médico homeopata de confiança, e o visite frequentemente, acompanhando os resultados do tratamento.

     

    Compartilhar:

  • Atividade física para os pequenos

    Atividade física é muito importante para as crianças em qualquer idade. Conversei sobre o assunto com a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, pediatra e homeopata

    Postado dia 20 de outubro de 2016 às 10h em Saúde e Bem Estar

    crianças

    Foto: Reprodução

    As atividades físicas auxiliam o organismo infantil a amadurecer os órgãos ligados ao crescimento ósseo- muscular e ao sistema imunológico. Brincar, correr em parques, chutar bola, subir em árvore, andar de bicicleta, patins ou skate e outras atividades livres de crianças também são atividades físicas. Por isso, quanto mais a criança brincar livre, melhor será para o desenvolvimento muscular, ósseo e o sistema imunológico.

    Segundo  Dra. Ana, as atividades físicas, como natação, judô e ballet, devem ter seu momento certo: “A natação é uma atividade física completa, capaz de estimular todo um conjunto de músculos do corpo, podendo ser frequentada por crianças a partir dos 4 meses de vida. Cabe aqui ressaltar que bebês podem criancas2ter aulas de natação em escolas especializadas, cujo tratamento da água seja adequado, já que até os 2 anos a criança faz aula de natação acompanhada por um adulto. Aulas como futebol e ballet são recomendadas apenas a partir dos 5 anos de idade. Musculação é recomendado somente após os 12 anos, sempre com acompanhamento de um monitor ou professor, com apresentação de atestado médico de aptidão a atividade física.”

    A médica também faz um alerta para quem mora em condomínios que possui piscinas e academias de ginástica: “Crianças devem frequentar a piscina somente por lazer, sempre com um adulto responsável. Após os 5 anos de idade, dependendo do tratamento da água. E a ginástica na academia vale a mesma regra: apenas após os 12 anos, com um profissional acompanhando e atestado médico permitindo.”

    Problemas respiratórios

    É de conhecimento da cultura geral que natação é bom para crianças e adolescentes com problemas respiratórios, como asma e bronquite. A dra. Ana explica essa crença popular. “É verdade que natação é recomendada para crianças com asma ou bronquite. Isso porque, nessas crianças, geralmente os pulmões são pouco estimulados ou mesmo pouco desenvolvidos, por isso a prática destas atividades com objetivo de fortalecimento pulmonar é benéfica. Porém, é importante, principalmente em crianças com essas patologias, o atestado médico de aptidão da atividade física.”

    Vale sempre lembrar que exercício físico e esportes no geral desenvolvem aptidões sociais, auto-confiança, espirito de equipe, empatia, e uma série de sentimentos positivos, além das melhoras físicas, como sistema imunológico, cardiovascular, etc.

     

    Compartilhar:

  • 10 benefícios da Zumba Fitness

    Conheça todos os muitos benefícios da dança que emagrece

    Postado dia 14 de setembro de 2016 às 08h em Saúde e Bem Estar

    zumba

    Foto: Reprodução/Internet

    Com cara de brincadeira, mas um exercício puxado, a zumba é uma das atividades mais procuradas nas academias. As aulas misturam ginástica e movimentos de dança embalados por ritmos latinos. Para quem quer emagrecer, ou simplesmente manter o corpo bonito e saudável, não há segredos: é preciso unir uma alimentação equilibrada com a prática de exercícios físicos. E nesse processo, a zumba é eficiente.

    Para algumas pessoas, pode parecer apenas mais um programa de exercícios exagerado. No entanto, a modalidade é um exercício dançante criado na Colômbia há alguns anos, que rapidamente conquistou o público a partir de 2001, tornando-se uma das atividades favoritas até das francesas.

    A aula de zumba dura normalmente ente 45 minutos e 1 hora e conta com um professor dinâmico que apresenta sequências curtas de dança. Com músicas inspiradas nas danças latinas como salsa, merengue, samba, mambo as coreográficas apresentam movimentos de rebolado e fácil execução, como giros e saltos. Normalmente as aulas terminas com alguns minutos de alongamento.

    zumba

    Benefícios da Zumba:

    • Queima de 500 a 1000 calorias em uma aula, dependendo da intensidade;
    • Aumento do metabolismo. A aula mistura dança com ginástica, alternando movimentos aeróbicos e localizados e, como consequência, aumenta o metabolismo e o gasto calórico;
    • Eliminação de toxinas e líquidos do organismo;
    • Astral positivo, aula alegre e divertida que auxilia na autoestima;
    • Trabalha a integração do grupo, melhorando a atividade social;
    • Melhora a coordenação motora, deixando os reflexos mais rápidos;
    • Melhora o equilíbrio corporal, devido aos movimentos da zumba que mistura movimentos rápidos e lentos, variando a velocidade;
    • Melhora o sistema cardiovascular, devido aos movimentos de respiração que ocorrem durante os exercícios e ajudam na saúde do coração;
    • Fortalece os músculos inferiores – músculo da coxa, glúteo e músculo posterior da coxa e panturrilha – e músculos do CORE – abdômen, cintura e quadril;
    • Ajuda na memória, pois, apesar de fáceis, os passos devem ser decorados.
    Compartilhar:

  • Comer gordura para emagrecer

    Estudos divulgados na Inglaterra e em Israel apontam para a importância dos alimentos naturais, como carnes, peixes e leite

    Postado dia 31 de agosto de 2016 às 09h em Saúde e Bem Estar

     

    gorduras

    Foto: Reprodução/Internet

     

    Um pensamento que vai ao encontro do censo comum é que evitando a ingestão de gordura conseguem-se melhores resultados para emagrecer. Afinal, se gordura engorda, que papo de louco é esse de que comer gordura ajuda a emagrecer?

    Comer gordura pode, sim, ajudar a controlar a obesidade. Além disso, os protocolos atuais de recomendação de consumo de gordura podem estar sendo usados de forma errada. Isso é o que afirma um recente relatório divulgado na Inglaterra. Segundo esse estudo, a recomendação atual de baixo consumo de gordura nas dietas foi baseada na “ciência imperfeita” e resultou em um aumento de ingestão de junk foods e de carboidratos.

    A pesquisa afirma que é essencial uma revisão em torno da recomendação de ingestão de alimentos gordurosos, principalmente de alimentos naturais, como carnes, peixes e produtos lácteos integrais, além de frutas, como abacate. O texto, que foi publicado pelo National Obesity Forum (NOF) e pela Public Health Collaboration, argumenta que a gordura saturada não causa doença cardíaca, enquanto produtos lácteos integrais, como leite, iogurte e queijo podem realmente proteger o coração.

    Outro estudo, esse da Universidade Hebraica de Jerusalém, afirma que uma dieta rica em gordura em horários controlados pode ajudar a emagrecer. Segundo essa pesquisa, a prática também pode fazer com que o metabolismo não acumule a gordura ingerida, e sim utilize-a para produzir energia. Os pesquisadores de Jerusalém afirmam que deve-se aperfeiçoar o metabolismo a partir do agendamento cuidadoso das refeições, sem limitar o conteúdo do cardápio diário. Dessa forma pode-se prevenir a obesidade nos humanos.

    Nunca se viu tantos obesos

    A pesquisa dos ingleses afirma que a principal prova de que as atuais recomendações estão erradas é que nunca se viu níveis de obesidade e diabetes mellitus tão altos. Eles associam esse fenômeno ao consumo de alimentos processados rotulados como “baixo teor de gordura”, “light” ou “baixo colesterol”. O estudo também recomenda que as pessoas com diabetes tipo 2 devem comer uma dieta rica em gordura, ao invés de uma dieta baseada em hidratos de carbono.

    Outras revelações importantes:

    O estudo dos ingleses afirma que, atualmente, a recomendação de médicos e nutricionistas é de que a alimentação realizada em pequenas porções, realizada de 3 em 3 horas, ajuda no processo de emagrecimento, pois aumenta o metabolismo. Por outro lado, a pesquisa inglesa afirma que esses lanches entre as refeições podem ser a principal causa de obesidade.

    Outro ponto destacado é que a contagem de calorias também é ineficiente, para não dizer prejudicial. Isso porque as calorias provenientes de diferentes alimentos têm “efeitos metabólicos” completamente diferentes sobre o corpo humano, tornando essa definição inútil.

    Em resumo, é “incorreto” afirmar que solução para a obesidade é queimar mais calorias do que as que são consumidas, pois a obesidade é um distúrbio hormonal que leva à compartimentalização anormal de energia; logo, não pode ser resolvida apenas aumentando-se a quantidade de exercício realizada.

    Recomendo que, apesar de as pesquisas afirmarem que a ausência da ingestão de gordura pode estar associada ao peso, ao iniciar uma dieta, deve-se sempre procurar um nutricionista de confiança.

    Compartilhar:

Página 1 de 3123