Colunistas

avatar

Aline Zaniboni

Profissão: Empresária

Cidade: Mogi das Cruzes

  • A Importância do Capital Humano na Organização

    O capital humano é aquilo que o funcionário leva para casa no final do expediente, é o que agrega valor à vida do mesmo

    Postado dia 26 de maio de 2016 às 08h em Empreendedorismo e Gestão

     

    capital

    Foto: Reprodução/Internet

    Entende-se por capital humano toda capacidade, conhecimento, habilidade e experiência dos empregados e gerentes. O capital humano inclui também a criatividade e a inovação organizacional, observando-se com que frequência novas ideias são geradas dentro da empresa, ou com que frequência estas ideias são implementadas, ou ainda qual o percentual de sucesso na implementação destas ideias.

    O capital humano é aquilo que o funcionário leva para casa no final do expediente, é o que agrega valor à vida do mesmo.

    Investir no capital humano é extremamente importante, pois o conhecimento e o crescimento profissional  do individuo traz satisfação e aumenta seu grau de dedicação, o que se refletirá nos níveis de produtividade e qualidade como também na própria capacidade inovadora da empresa, pois a competitividade e a lucratividade não são conseguidas somente mediante processos, mas, sobretudo, por intermédio de pessoas. Na sociedade da informação, são elas, as pessoas, que fazem a diferença.

    As empresas devem perceber que os seres humanos em seu trabalho não são apenas pessoas movimentando ativos, elas mesmas são os ativos que devem ser valorizados, medidos e desenvolvidos como outro ativo da cooperação.

    O capital humano, assim como qualquer outro ativo dentro de uma empresa deve ser gerido por seus superiores, uma vez que não são todas as pessoas que possuem os mesmos conhecimentos e capacidades de desenvolvimento de determinadas funções. É necessário acompanhar as pessoas, empresa deve claramente identificar quais as pessoas que possuem habilidades proprietárias e cujo conhecimento contribui estrategicamente para a criação de valor pelo qual os clientes pagam.

    Desta forma, os talentos são identificados e trabalhados de acordo com as necessidades da empresa.

    O capital humano pode ser usado também como uma vantagem competitiva, de forma pessoal ou dentro da empresa.

    No âmbito pessoal, ao valorizar o empregado, o mesmo se sente motivado, valorizado, o que gera uma mão de obra de qualidade, comprometida, com autodesempenho e possui uma vantagem competitiva duradoura. Cada vez mais os investimentos em capital humano são vistos como fatores primordiais na determinação dos níveis de produtividade e na vantagem competitiva das empresas.

    No âmbito empresarial, a vantagem competitiva encontra-se não somente no cabedal de conhecimentos que a empresa possui e gerencia, mas fundamentalmente em sua capacidade de articular o Capital Humano entre os diversos atores da rede de valor da organização, de forma que estes possam redundar na criação de novos conhecimentos e seus subprodutos: soluções inovadoras.

    Para que haja bons resultados, a empresa deve investir e incentivar o desenvolvimento de pessoal em seu ambiente de trabalho. A valorização do potencial humano traz benefícios para ambos os envolvidos, os funcionários ganham e em contra partida, ao ter um funcionário motivado a empresa também só tem a ganhar.

     

    Compartilhar:

  • A ATITUDE de virar o jogo

    Você já parou para pensar quantas coisas acontecem na sua vida que te levam a pensar “Mas não era isso o que eu queria que acontecesse”?

    Postado dia 11 de maio de 2016 às 08h em Empreendedorismo e Gestão

    jogo

    Foto: Reprodução/Internet

    Quantas acontecimentos te pegam desprevenido e te fazem mudar de caminho? Quantas vezes parou de fazer algo que queria para resolver um imprevisto?

    Em minha carreira de coach, com frequência me questionam como seguir um objetivo, se há tantas coisas no meio do caminho que te fazem mudar de rota. Como virar esse jogo de incertezas da vida para começar a conduzir o próprio caminho, aquele que em nossa mente escolhemos ser o nosso futuro. Como chegar lá? Como virar o jogo do destino e ser dono do próprio caminho sem as interferências externas?

    Deixa eu te contar um segredo: as interferências externas sempre vão ocorrer, porém é uma escolha nossa deixar que elas se apoderem da situação ou mantermos o controle sobre nossas vidas. Sabe do que isso depende? Das nossas atitudes.

    Deixa eu te explicar isso melhor: somos condicionados a pensar nas consequências, sempre, desde pequenos. Nossa educação em geral diz que devemos pensar nas consequências, e dessa forma esquecemos de pensar nas ATITUDES. Elas é que são importantes nesse momento de virar o jogo. Pense comigo: que consequências você terá se não tiver uma atitude que te leve a uma consequência?

    O primeiro passo é assumir total responsabilidade sobre nossas vidas. Você é responsável por deixar algo interferir nas suas escolhas, você é responsável por deixar que alguém interfira no seu emocional a ponto de não ter as atitudes que havia escolhido ter. Aqui é hora de um grande aprendizado: “Assumir responsabilidade TOTAL por suas atitudes e pelas consequências advindas destas é, talvez, uma das mais poderosas fontes de aprendizado. Se você não se responsabiliza pela atitude que teve, não a entende, e não reflete sobre como a consequência ocorreu, você provavelmente não conseguirá aprender, com tamanha ênfase, como chegou nesse ponto, e nem quais as atitudes que deve exercer em sua vida para atingir novas e prazerosas consequências.”

    O que você prefere: Viver pelo objetivo de outra pessoa, realizando os planos de outro e sendo mero coadjuvante da sua vida, ou assumir o papel principal de sua vida, tomar responsabilidade pelos acontecimentos dela, entender que são suas atitudes diárias que fazem a sua vida tomar os rumos desejáveis ou não, e crescer e ver florescer seu grande sonho/objetivo ?

    #:
    Compartilhar:

  • Mudança comportamental

    O Coaching é um processo de auxilio no ágil desenvolvimento e na produção de resultados potencializados, de forma interativa e individual

    Postado dia 21 de abril de 2016 às 08h em Empreendedorismo e Gestão

    coaching

    Foto: Reprodução/Internet

    Grandes empresas buscam constantemente destacar-se no mercado e alcançar excelência em seu seguimento. Buscam incansavelmente novas tecnologias, novos processos, implantação de filosofias de qualidade, certificações etc, mas esquecem de que o capital humano é o principal fator de geração de resultados, tanto positivos, quanto negativos.

    Cada dia mais, vemos a busca no mercado de trabalho por lideranças com foco motivacional. A identificação e formação de líderes, dentro das organizações, são de extrema importância para qualquer seguimento, uma vez que o papel deste profissional é ser o incentivador dos processos, normas, condutas, onde cada membro tenha consciência de sua relevância na cadeia produtiva. Deste modo, o essencial para o crescimento das organizações é contar com um plano eficiente para o desenvolvimento de pessoas que atuam diretamente e indiretamente na gestão de pessoas.

    O Coaching é um processo de auxilio no ágil desenvolvimento e na produção de resultados potencializados, de forma interativa e individual, que pode atingir diversos aspectos da vida, utilizando técnicas e ferramentas que levam ao foco, ação, resultado e melhoria contínua, através de assessoria pessoal. Dentro do ambiente organizacional as técnicas do Coaching contribuem diretamente para alavancar metas de equipes, líderes e da empresa como um todo, desenvolvendo pessoas com a visão de alcançar os principais objetivos da organização.

    A situação econômica do mercado global vem sentindo grande pressão diante das constantes mudanças de mercado e avanços tecnológicos que impactam diretamente na forma como as pessoas se relacionam nas organizações e como fazer para que estes tenham mais comprometimento, agilidade e motivação. Em entrevista ao Band News Villela da Matta (2013), presidente da Sociedade Brasileira de CoachingSBCoaching, fala deste impacto e de como gerir a falta de líderes qualificados para atender esta demanda, segundo Matta (2013) a falta de profissionais preparados para o mercado se dá devido ao fato do mau profissional da área da educação, sendo assim, o papel de desenvolvimento do líder fica por conta da empresa, que deve investir maciçamente para ter um bom líder, ressalta ainda ele: “o que nem sempre acontece”.

    Com a grande competitividade do mercado, muitas vezes as empresas não conseguem reter o empregado e assim acabam ‘perdendo’ o investimento num profissional específico, por este ter novos desafios, melhores condições de remuneração, ambiente de trabalho para concorrência. Esta perda tem se tornado crescente diante da comunicação e agilidade de informação.

    A importância de se abrir um empreendimento nos dias atuais, voltado para desenvolvimento humano organizacional, está totalmente ligado à grande importância de liderança e formação de bons profissionais. É preciso identificar os objetivos do profissional e seus valores e compará-los aos valores da organização, e na contribuição da empresa com o objetivo pessoal de cada indivíduo, considerando a parte social.

    Um relacionamento harmonioso, capaz de suprir desavenças, com comunicação clara e objetiva, faz com que a organização consiga alcançar seus objetivos e suas metas. É necessário através do Clima Organizacional (C.O.), conseguir transformar divergências em oportunidade assim estreitando as relações e aumentando a capacidade de resolução de problemas.

     

     

    Compartilhar:

  • Desvendando o Coaching

    Coaching: Para que serve? Quais os benefícios? Coaching é um aconselhamento?

    Postado dia 6 de abril de 2016 às 09h em Empreendedorismo e Gestão

    coaching

    Foto: Reprodução/Internet

    O termo Coaching foi criado na década de 1930, quando um grupo de pesquisadores descobriu a necessidade de se ter um líder motivacional que desse treinamento para pessoas de todos os escalões nas organizações. Estes treinamentos tinham o objetivo de ensinar técnicas para o desenvolvimento humano, que podiam se estender para várias áreas de suas vidas. A partir daí, foram criados alguns termos para definir a técnica de promover o aprendizado.

    Entretanto, também começaram a surgir algumas dúvidas em relação ao Coaching: Para que serve? Quais os benefícios? Coaching é um aconselhamento?

    Considerando que todo ser humano tem uma tendência a dar conselhos, podemos considerar que temos o hábito de dizer ao outro o que fazer. No caso de um Coaching, este tem o objetivo de gerar aprendizado e facilitar a expansão das pessoas. Ensinar-lhes a considerar suas próprias escolhas e ter uma clareza de ideias. Não lhes dizer o que fazer, mas contribuir para que o liderado encontre suas respostas. Em outras palavras, Coaching é desenvolver novos potenciais.

    Com suas ferramentas, que são os encontros com os coachees (liderados), definição de metas e feedback, cria-se uma plano de ação, que é o caminho a seguir para a conquista da plena execução de suas ideias, quer sejam elas no âmbito profissional ou ainda pessoal. Podemos dizer que todo ser humano é o agente de sua vitória ou de sua queda. Ele é a causa e não a vítima das circunstâncias.

    Quando consideramos os dias atuais, onde a globalização nos levou a uma busca constante por aprendizados e novos conhecimentos, ter um Coaching que nos norteie tornou-se essencial.

    Nas grandes e, por que não dizer, nas médias empresas, já podemos sentir os resultados desta liderança.

    Com o passar dos anos, essa prática tornou-se rotina nas grandes corporações, pois sua eficácia passava a ser facilmente percebida e cada vez mais usada para agregar qualidade à gestão.

    A organização, ou o conjunto de recursos incluindo o humano, são reunidos para produzir bens ou serviços, e é esta a primeira fase de uma empresa. Seu funcionamento é sustentado por diferentes tecnologias materiais e imateriais e devem ser coerentes com a visão e estratégias que lhe dão as orientações de médio e longo prazo.

    Podemos entender que a gestão empresarial é como um modelo de trabalho, orientado por uma política de valores, capaz de planejar, alocar e gerir recursos, ações, iniciativas, princípios, valores e estratégias, procurando viabilizar o alcance dos objetivos propostos por uma organização ou empresa. Com este modelo, ela formata a sua estrutura hierárquica, o organograma de cargos e funções, o processo disciplinar e os incentivos, as principais interfaces operacionais internas e externas, a estratégia comercial e de marketing, a logística, o desenvolvimento de parceiros, da sua cadeia de suprimentos.

    Quando falamos de Gestão de Pessoas em uma empresa de Recursos Humanos voltada para o Coaching, podemos afirmar que o capital humano tem sido cada vez mais valorizado pelas organizações, pois estas entenderam que devem oferecer o suporte necessário para que essas pessoas desenvolvam novas aptidões e aperfeiçoem características que já possuem. Esta técnica é utilizada através de Coaching.

    Se as pessoas dentro das organizações tiverem oportunidade de progresso ou avanço em suas funções, elas darão o melhor delas, apresentando resultados positivos para a empresa e ainda para suas vidas particulares.

     

    Compartilhar:

Página 1 de 11