Análise: Batman vs Superman – A Origem da Justiça

Um filme que possui um forte apelo visual, mas que peca na roteirização e caracterização de alguns personagens

Postado dia 19/04/2016 às 08:30 por Caio Bezerra

 

batman

Foto: Reprodução/Internet

Antes de começar a fazer a minha análise a respeito do filme Batman V Superman – A Origem da Justiça, eu gostaria de ressaltar em primeiro lugar, que este artigo CONTÉM SPOILERS. Para poder fazer uma análise mais detalhada eu preciso ilustrar com exemplos reais tanto os pontos positivos, quanto os negativos do longa. Em segundo lugar, as opiniões que vou expor aqui são pessoais, sou formado em jornalismo, mas não sou um crítico de cinema, sou apenas um fã de quadrinhos que gosta de compartilhar as minhas observações. Portanto, eu quero ressaltar que não leve a minha opinião como verdade absoluta, é uma análise pessoal, cada um tem um conceito diferente do assunto e eu respeito isso.

Em relação a Batman V Superman – A Origem da Justiça (2016), dirigido pelo aclamado Zack Snyder, eu estou dividido em relação ao filme. Tiveram coisas que eu gostei e coisas que eu odiei. Confesso que não estava empolgado com o filme quando ele foi anunciado pela primeira vez em 2013, mas na semana de estreia eu me empolguei por que eu li críticas especializadas tanto negativas quanto positivas, então eu fui assistir com uma expectativa de que aquilo talvez fosse bom.

Eu adorei o tom soturno e sério que o filme mostra, o Zack Snyder já havia feito isso quando lançou a adaptação de Watchmen (2009) nos cinemas, e ele repetiu a fórmula neste filme, parece que você está lendo uma história em quadrinhos. O filme visualmente falando é muito legal, o design do Batman por exemplo, talvez seja o melhor já apresentado do herói no cinema, a armadura ou uniforme usado por ele remete a HQ, Batman – O Retorno do Cavaleiro das Trevas (1986) misturado com alguns elementos dos gibis mais recentes do herói nos Novos 52. A atuação do Ben Affleck como Bruce Wayne ficou convincente, ele passa a ideia de um homem desacreditado da lei, atormentado, desgastado, neurótico e sério.

Os créditos iniciais do filme também foi um ponto positivo, acho que acertaram em cheio em contar a origem do Batman e a morte dos pais dele com uma cena rápida de abertura e sem muita enrolação, logo em seguida já passam logo para uma das partes que eu mais gostei, quando mostram toda a destruição de Metropolis (vista no final do filme O Homem de Aço) sob a ótica de Bruce Wayne que mesmo sendo um vigilante há 20 anos, vê as pessoas morrendo e se sente impotente perante tudo aquilo, e isso vai gerar nele a visão de que o Superman na verdade é uma ameaça para a humanidade.

Apesar de ter gostado do visual do Batman no filme, a maneira como ele foi retratado enquanto vigilante, me deixou com o pé um pouco atrás. O Batman nos quadrinhos é um personagem que vive em um constante conflito interno, pois acima de tudo ele se autopolicia para não se tornar aquilo que vitimou os seus pais. Apesar de ele usar a força e o medo para combater os seus inimigos, ele luta para preservar a sua integridade como herói. No filme o Batman que é apresentado não demonstra nenhum desses valores, ele é completamente sádico e cruel com os seus inimigos, ele marca os bandidos na pele a ferro e fogo, não tem aquele heroísmo e dilema interno dos gibis. Eu sei que nos quadrinhos o Batman já matou e também já extrapolou no uso da força, mas foram em situações extremas e não gratuitamente.

batmanvsuperman

Outra coisa irritante, o Batman é um excelente detetive, espião, lutador e mestre estrategista, ele sempre planeja pegar os inimigos desprevenidos e muitas vezes sem ser visto (isso nas HQs). Digo isso por que no filme tem uma cena ridícula, aonde o Batman implanta um rastreador em um caminhão (para roubar uma carga que está sendo transportada), e de repente, ele aparece no Batmóvel descendo o sarrafo no mesmo caminhão que ele implantou o rastreador, ou seja, não faz sentido nenhum o localizador se o plano era cair matando em cima.

A respeito do Superman, ou Super-Homem, visualmente e fisicamente o Henry Cavill se parece com o personagem, ele é forte, tem a cara quadrada e tudo o mais, mas interpretando…não é o cara (não chega nem próximo disso). As falas dele são completamente clichês, a atuação dele como Clark Kent não se diferencia em absolutamente nada do Superman, não existe aquele Clark inseguro, covarde e tímido dos quadrinhos, é a mesma cara, a mesma expressão sempre. As cenas dele são todas genéricas e a história dele no filme rasa. Com a personagem da Louis Lane (Amy Adams), Snyder e os roteiristas cometeram o mesmo erro do filme do Homem de Aço, o de colocar ela metendo o bedelho em tudo, afinal de contas o filme é sobre Batman contra o Superman, ou é um filme sobre a Lois Lane?

Outra coisa que não me desceu no filme, eu consegui entender o porquê do Batman não gostar do Superman, mas não consegui entender o porquê do Superman não gostar do Batman. O Batman no filme está há 20 anos combatendo o crime, o Superman está há 18 meses, em pouco mais de um ano ele não conhecia o Batman? Por que que só agora depois de 18 meses que ele vira e fala: “ah, o morcego de Gotham deve ser detido por que ele é cruel com os bandidinhos, ele marca com ferro e fogo”.

E o que dizer do aguardado embate entre Batman e Superman? Completamente sem sal, não dura cinco minutos, e no final eles acabam virando “Brothers”, por que o nome da mãe de ambos é Martha. É sério roteiristas da Warner/DC, sério mesmo que você subestima tanto assim a inteligência do espectador?

batmanUm dos maiores erros de Batman V Superman com certeza é o roteiro, as cenas não casam uma com a outra. Tem horas no filme que as coisas são simplesmente jogadas e tudo vira uma bagunça. Você está acompanhando uma cena e de repente corta e já vai para outra, e depois corta de novo e pula pra outra coisa, ou seja, não tem continuidade, você fica perdido. No cinema, eu virei para a minha namorada e disse: “nossa, eu estou me perdendo aqui no meio de tantos quadros simultâneos”.

A Mulher Maravilha (Gal Gadot), está uma verdadeira amazona no filme, ela é uma guerreira de verdade, e os trejeitos dela lutando lembram muito os da Mulher Maravilha do desenho da Liga da Justiça. Está muito legal, até a música dela é bacana.

Vamos pegar os vilões como exemplo, começando pelo Lex Luthor, interpretado pelo canadense Jesse Eisenberg. Na hora de ter escrito o personagem os roteiristas devem ter confundido com o Charada, por que em essência ele não tem nada de Luthor, é totalmente caricato e irritante. Até mesmo o jeito que ele fala, parece que está dopado de cocaína de tão acelerado que é. Não tem uma fala dele no filme que não seja confusa, aliás ninguém fala normal no filme.

Agora o Apocalipse, MEU DEUS DO CÉU, o que foi aquilo? Ele não tem nada a ver com o vilão dos quadrinhos, tanto na aparência quanto na origem, ele parece mais um Troll dos filmes do Senhor dos Anéis misturado com uma Tartaruga Ninja dos filmes mais recentes do Michael Bay. Nos quadrinhos o Apocalipse, ou Doomsday, é um dos maiores vilões do universo DC, é um monstro que tem ódio a toda a existência da vida, justamente pela maneira brutal que ele é criado nas HQs, através de experimentos kriptonianos. Nos gibis ele é simplesmente o responsável pela morte do Superman, mas no filme eles tentaram retratar isso e particularmente não senti emoção nenhuma, foi tudo tão chocho.

Para um filme que quer consolidar de vez o universo DC no cinema, Batman V Superman é fraco. Digo isso, por que os produtores e executivos da Warner e DC devem estar muito na neura de querer alcançar a Marvel logo, então o filme ao invés de focar no principal, a luta de ideias entre Batman e Superman, acaba se tornando um verdadeiro “fanservice” para lançar logo o filme da Liga da Justiça, tudo é forçado e jogado de modo que os heróis formem logo um grupinho para que eles possam formar a Liga. Para um universo que está acabando de surgir no cinema, é uma decisão falha e apressada da DC, ao contrário da Marvel (não sou Marvete) que já vem preparando o terreno dela desde o lançamento do Homem de Ferro (2008), a DC está tomando decisões apressadas, e isso pode colocar em cheque o futuro deste universo no cinema. É claro que Batman V Superman não é de se jogar no lixo igual o filme do Lanterna Verde, Batman e Robin ou Quarteto Fantástico (2015) da Fox, mas para um projeto ambicioso destes cometer erros primários na elaboração de um roteiro, ficou devendo bastante, pois se trata do encontro dos dois maiores heróis da DC nas telonas, e no fim das contas a trama principal é completamente subjugada para que na verdade o filme seja um tapa buracos para o Liga da Justiça, que deve estrear daqui há poucos anos.

 

Compartilhar:

Sobre o Autor

avatar

Caio Bezerra

Jornalista graduado pela Universidade Mogi das Cruzes (UMC). Atua há sete anos na área de imprensa, tendo trabalhado em diversos segmentos

Obs: As postagens do autor são de plena responsabilidade do mesmo, o portal se isenta de qualquer conteúdo que possa ser ofensivo.

Veja mais posts deste autor

Leia também

Assine a nossa newsletter